quinta-feira, 31 de março de 2011


Guarda-me Como se eu fosse um verso De amor
Que o tempo Não é capaz de apagar de ti
Desses versos Que a gente escrevia 
Nos troncos das árvores E não se apagaram 
Como aqueles que a gente Escreveu a giz.
Guarda-me Como se eu fosse uma canção 
Que ecoa em teus ouvidos No silêncio do
 teu quarto Antes de dormir
Guarda-me Como te guardo Em mim

_Sirlei L. Passolongo _


Nenhum comentário:

Postar um comentário