segunda-feira, 2 de maio de 2011

“Desculpem o trocadilho infame, mas a vida é feita 
de altos e baixos. Altos, fortes, morenos, sensuais, 
possíveis e aquele baixinho, meio esquisito, que não
 sai da sua cabeça.Impressionante como a gente sofre 
por nada. Um cheiro que mexe com você, um jeito de 
olhar contido, uma idéia inteligente, várias na verdade. 
Não, não é nada disso, a gente sofre é pela impossibilidade. 
Desde que o mundo é mundo não há nada mais afrodisíaco 
do que a proibição. 
(…) E nada melhor do que as lacunas da improbabilidade 
para esquentar uma paixão. Nessas lacunas você tem espaço 
para criar a história como quiser, ganha poder, inventa. 
Ele é seu, seu personagem. 
(…) Olha, faça um favor para mim, antes de tremer as pernas
 pelo inconquistável e apagar as luzes do mundo por um único 
brilho falso, olhe dentro de você e pergunte: estupidez, 
masoquismo ou medo de viver de verdade?”

              Tati Bernard                          





 É assim quando você vai tirar férias: 
você planeja tudo direitinho, porém um dia, 
você faz uma curva errada ou pega um atalho e 
acaba saindo em um lugar estranho que nem 
consegue achar no mapa.E começa a ver e fazer 
coisas que nem imaginava.Talvez se sinta um pouco 
perdido durante o trajeto, mas depois,com o tempo, 
percebe que foi a melhor parte de toda a viagem!... 

filme - as três formas de amar

Nenhum comentário:

Postar um comentário